Quem sou eu

Minha foto
Sou mãe, flautista, e amo escrever!

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Pastores e ovelhas...




No sentido literal, um “pastor” é alguém que cuida dos rebanhos de ovelhas.
Uma das mais antigas profissões do mundo, na Bíblia, aparece pela primeira vez em Gênesis 4:2 ao referir-se à ocupação de Abel.
Era uma profissão fatigante, cujas funções incluíam encontrar erva e água para o rebanho, geralmente em regiões secas, pedregosas e longe de sua morada.
Além da proteção do rebanho contra animais ferozes, exigia-se do pastor restituição por qualquer ovelha perdida, a menos que pudesse assegurar que o ocorrido estivera terminantemente fora de seu controle e previsão. As implicações desse trabalho exigiam que o pastor fosse forte, dedicado, destemido e abnegado.

No Novo Testamento, o termo “pastor” aparece em Ef. 4:11 como um dos dons espirituais concedidos à igreja para sua edificação. O dom de pastor é a capacidade especial que Deus concede a alguns membros do corpo de Cristo, que os capacita a assumir a responsabilidade pelo bem espiritual de um grupo de cristãos. Quem possui esse dom tem prazer em orientar o povo; tem amor especial pela vida humana; sente tristeza quando alguém está falhando na vida cristã; considera como primordial a alimentação e proteção do rebanho; ocupa-se em orientar o povo de Deus quanto ao caminho a seguir no dia-a-dia e em aconselhar pessoas que estão confusas ou precisando de direção.

Devido à complexidade do ofício pastoral a existência de mais de um pastor é comum e necessária em muitas igrejas. Assim, o dom pastoral combinado com outros dons, tais como, governo, profecia, fé, misericórdia e ensino; permite que homens e mulheres exerçam atividades que abrangem o trabalho com diversas faixas etárias; treinamento de cooperadores; liderança de grupos familiares; evangelismo e entrosamento de novos cristãos; aconselhamento, exortação, ensino da palavra bíblica e visitação, entre outros.

É sabido que nem todo pastor será mestre e outro talvez tenha dificuldade em se expressar. Mas, todo pastor deve apresentar essencialmente dedicação, amor, compaixão e preocupação com o aperfeiçoamento dos santos.

Deus confiou ao pastor uma pesada tarefa que deve ser exercida de boa vontade, espontaneamente, não por constrangimento e sem ganância (I Pe 5:2); e a quem o Senhor adverte quanto à responsabilidade para com o rebanho e sobre o castigo pelo exercício inadequado e displicente do ofício pastoral( Jr. 23:1,2).

É importante que a igreja, o corpo de Cristo, reconheça a importância e a complexidade da função pastoral (I Tes. 5: 12,13) e não só no dia em que a denominação presta homenagem aos pastores, como também em todos os outros dias do ano; cada um de nós, como ovelha, aja com brandura, obediência e submissão aos pastores sobre nós colocados por Deus (Jr. 23:4), permitindo assim que exerçam o seu ministério com alegria e não gemendo (Hb. 13:17), sabendo que disso daremos conta ao Senhor!

Queridos pastores e pastoras: “sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é em vão” (I Co. 15:58). Aguardem e descansem na provisão do Supremo Pastor, nosso Senhor, que “tem cuidado de vós”(I Pe 5:7), sabendo que quando Ele se manifestar, recebereis a imarcescível coroa de glória! (I Pe. 5:4)

Que Deus os abençoe e faça frutificar o vosso ministério, para a glória do nosso Deus!

Ass: Sal, hoje buscando ser uma ovelha que a cada dia cresce saudável ouivndo a voz do Supremo Pastor! ...

*Texto aqui, na intega, produzido para impressão no boletim semanal da IBR; posto em circulação no dia 12/06/2011/ Impresso no boletim com redução e adaptações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário